Um grupo de astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional foi obrigado a procurar abrigo, devido a uma ameça de colisão com destroços espaciais.

Durante quase uma hora, o astronauta americano, Scott Kelly, e os dois russos, Mikhail Kornienko e Gennady Padalka, permaneceram dentro da cápsula Soyuz, alocada à nave e que devia ser usada caso fosse preciso realizar uma saída de emergência.

O fragmento viajava a uma velocidade de 13 quilómetros por segundo e pertencia a um antigo satélite meteorológico russo. O destroço acabou por passar ao lado da aeronave, sem causar qualquer dano.

Um vídeo filmado no momento mostra a tripulação a mover-se na estação e a refugiar-se na cápsula, fechando o alçapão.




“Feliz por não ter havido nenhum impacto”, escreveu Scott Kelly no Twitter. “Grande coordenação com as equipas internacionais no solo. Treino excelente”.

 
Os astronautas não estavam preparados para o incidente pois a NASA costuma detetar a presença de destroços potencialmente perigosos mais cedo, para que a estação os consiga retirar do caminho. Mas, segundo o The Guardian, desta vez a tripulação foi avisada apenas 90 minutos antes do possível impacto.

Segundo um porta-voz da NASA, o tamanho exato do fragmento é ainda desconhecido. Esta é uma situação perigosa mas extremamente rara, uma vez que, em 16 anos de existência da estação, esta é apenas a quarta vez que astronautas têm de refugiar.se na cápsula.

O trio de astronautas deparou-se pela segunda vez com uma situação desta natureza, desde que chegou à estação, em março. Em abril, o laboratório espacial teve de se desviar de alguns destroços, mas não foi precisa evacuação.

O número de detritos no espaço nunca esteve tão alto. O Departamento de Defesa afirmou que está a monitorizar cerca de 22.000 satélites inativos, materiais de foguetões e todo o tipo de lixo espacial. A NASA declarou que podem existir mais de 500.000 objetos pequenos no espaço que podem representar um perigo para as naves espaciais.