Reyes Montiel, deputada da IU (Esquerda Unida) na assembleia de Madrid, foi proibida de usar o Twitter na sala da Comissão de Investigação. «Não posso usá-lo na sala da Comissão de Investigação até que a mesa o regule e portanto proíba o uso desta ferramenta tão perigosa», escreve a deputada no seu blog pessoal.

Montiel indigna-se com facto de ter sido proibida mesmo com o reconhecimento, por parte da Comissão, de que não existe nenhum impedimento legal para o fazer.

«Inclusivamente reconhecem que o posso usar fora da sala. Que diferença faz sentar-me na sala ao lado e «twittar» através do canal interno?», acrescenta.

A deputada considera que esta medida, por parte de um governo que se diz «tolerante» e defensor da «liberdade de expressão», não é só uma questão de «intolerância, mas também de ignorância».

Pedro Mota Soares, deputado do CDS na Assembleia da República de Portugal, e um adepto do Twitter, apesar de não querer comentar as questões politicas de outro país, afirmou ao TVI24.pt que esta é uma ferramenta «fundamental para ligar os deputados aos eleitores».

Mota Soares acredita que «o Twitter entrou para fazer uma aproximação real entre os deputados e o eleitorado». O deputado do CDS espera «sinceramente que algo deste género não aconteça em Portugal».