As imagens servirão para comparação futura, para averiguar as mudanças na atmosfera dos planetas ao longo do tempo.

Para além de Júpiter, a NASA está agora a recolher dados de Neptuno e Úrano. Saturno vai também entrar mais tarde no programa da agência.

A NASA divulgou um mapa em alta resolução de Júpiter, onde mostra a Grande Área Vermelha do planeta, uma tempestade que tem atormentado o planeta há vários anos.

As imagens permitiram que os cientistas percebessem que esta área está a diminuir, a um “ritmo mais acelerado do que o normal”. A tempestade está a ocupar menos 240 quilómetros do que a última vez que foi medida.

Os investigadores puderam também perceber que a Grande Área Vermelha tem uma zona alaranjada e que, dentro da tempestade, há uma espécie de “filamento fino”, que se contorce e gira em torno de um vórtex.

 

“Sempre que olhamos para Júpiter descobrimos pistas tentadoras de que algo verdadeiramente empolgante está a contecer”, afirmou Amy Simon, uma das cientistas da NASA. “Esta vez não é exceção”.

O telescópio capturou imagens da atmosfera, que parece ter uma espécie de onda que já não era vista no planeta há várias décadas. A formação assemelha-se a alguns componentes presentes na atmosfera terrestre quando as tempestades se formam.