Pela primeira vez, os cientistas tiveram a oportunidade de observar um fenómeno espacial raro: o momento em que um buraco negro “engole” uma estrela. As conclusões desta observação foram publicadas na revista científica Science.

Tudo aconteceu em duas galáxias em colisão, designadas Arp 299, que estão localizadas a cerca de 150 milhões de anos-luz da Terra. Cada um dessas galáxias tem um buraco negro supermassivo no seu núcleo.

Ora, uma estrela do dobro do tamanho do nosso Sol aproximou-se do centro de uma dessas galáxias e foi completamente engolida pelo buraco negro. A pobre estrela não tinha nenhuma hipótese devido à força gravitacional do buraco negro, que a despedaçou, causando uma explosão de matéria pelo universo.

Este momento incrível foi testemunhado por cientistas pela primeira vez, graças a telescópios de rádio e infravermelhos. E há imagens, também elas inéditas, que o comprovam e que foram partilhadas nas redes sociais.

A maioria das galáxias têm buracos negros no centro que podem absorver uma vasta quantidade de matéria, formando um enorme disco à sua volta. A própria Via Láctea tem um buraco negro no seu núcleo. Mas durante a maior parte do tempo, esses buracos negros ficam “silenciosos”, sem engolirem nada.  

Nunca antes tinha sido possível observar diretamente a formação e evolução de um fenómeno destes”, explicou o astrónomo Miguel Perez-Torres, do Instituto de Astrofísica da Andaluzia, em Espanha, no estudo agora divulgado.

Para se chegarem a estas imagens, foi preciso mais de uma década. As observações deste fenómeno começaram em 2005, através de um telescópio nas ilhas Canárias.