A embaixada de Israel anunciou, esta terça-feira, que Liliana Marques, fundadora da CoolFarm, é a vencedora do concurso Startup Telavive em Portugal.

A CoolFarm é uma 'startup' que desenvolveu um sistema inteligente, que permite fazer crescer plantas sem intervenção do utilizador e pode ser controlado através de uma aplicação para 'smartphone'. Também não precisa de terra porque apenas usa água para cultura (hidroponia).

Esta técnica, a hidroponia, permite gastar, em média, cinco vezes menos água do que quando se cultiva com terra. Por outro lado, permite controlar exatamente quais os nutrientes que vão na água.

A vencedora portuguesa vai participar, juntamente com outras mulheres de 30 países, no festival de inovação DLD de Telavive, de 25 a 29 de setembro.

O DLD inclui uma longa lista de eventos, entre encontros de inovadores e empresários, conferências, reuniões, seminários com investidores e profissionais israelitas líderes na sua atividade, todos centrados nos diferentes aspetos da inovação digital, tecnológica, social e urbana.

O concurso decorreu de 18 de abril a 30 de maio.

O júri integrou a secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, a diretora do CENIMAT (Centro de Investigação em Materiais Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa), Elvira Fortunato, a diretora-geral da Cisco Portugal, Sofia Tenreiro, o diretor-geral da COTEC Portugal, Jorge Portugal, o cofundador da Beta-i, Ricardo Marvão, e Rui Serapicos da CIONET Portugal.

Algumas das 'startups' mais famosas e mais usadas do mundo - 'Viber', 'Fairfly', 'RoomsNinja' ou 'Moovit' - são israelitas e nasceram em Telavive.

Aproximadamente mil (64%) das empresas de alta tecnologia israelitas em Telavive são 'startups'.