«Os nossos resultados mostraram que as pessoas se sentiam menos stressadas ​​quando verificaram o seu e-mail com menos frequência»

Palavras de Kostadin Kushlev, o principal autor do estudo que desafiou 124 adultos, entre estudantes, analistas financeiros e profissionais de medicina, a responder a questionários diários sobre os seus níveis de stress. A um grupo foi pedido que verificasse o e-mail, no máximo, até três vezes por dia, durante uma semana. A outro, foi dada luz verde para o fazerem tantas vezes quantas pudessem durante os mesmos dias. Uma semana depois, os grupos trocaram de posição.

Uma outra conclusão é que não foi fácil para os participantes não estar sempre a espreitar o e-mail, como habitualmente costumam fazer.

 

«As pessoas acham difícil resistir à tentação (…) ainda que resistir a esta tentação reduza o stress».

Foram as próprias lutas que Kushlev travou consigo próprio que o inspiraram para levar a cabo este estudo. Sente-se «melhor e menos stressado» desde que decidiu restringir as alturas em que atualizada o estado do seu correio eletrónico.