Um orgasmo por dia pode reduzir significativamente o risco de cancro da próstata. Esta é a conclusão de um estudo da Universidade de Harvard e de um hospital norte-americano, que afirma que os homens que ejaculam mais de 21 vezes num mês têm 22% menos probabilidade de ter a doença.

Segundo a investigação, este resultado é igual para os homens que têm relações sexuais regulares ou que recorrem à masturbação.

Os investigadores estudaram 32 mil homens, a partir dos 18 anos, dos quais quase 4 mil contraíram cancro. Os participantes foram seguidos durante vários anos e questionados sobre a quantidade de vezes que tinham orgasmos por mês, entre as idades 20 a 29 anos e 40 a 49. Descobriram então que, quanto mais frequentes eram as ejaculações, menores as probabilidades de contrair cancro.

Uma realidade especialmente relevante nos homens na casa dos 40 anos. Os que ejaculavam mais de 21 vezes por mês, em comparação com os que o faziam apenas quatro a sete vezes, tinham menos 22% de probabilidade de desenvolver esta enfermidade.

Estes resultados estão a ser considerados pela comunidade científica como “particularmente encorajadores”, mas ainda é precisa mais investigação.
 

“Apesar destes serem os dados mais positivos até agora sobre os benefícios da ejaculação para evitar o desenvolvimento de cancro da próstata, são dados observacionais e devem ser interpretados com prudência. Mas, ao mesmo tempo, dada a falta de fatores mutáveis do cancro da próstata, os resultados deste estudo são particularmente encorajantes”.


Este tipo de cancro é a segunda causa de morte entre os homens na sociedade ocidental. Em Portugal, a doença atinge quase 4 mil homens por ano e 1.800 não sobrevivem.