O ex-analista da CIA Edward Snowden e o conselheiro delegado da Google estão do lado da Apple no caso da ordem judicial que obriga a empresa a desbloquear o telemóvel do autor de um tiroteio.

Snowden, exilado na Rússia, defendeu, esta quarta-feira, na rede social Twitter, o direito da Apple de se negar a fazer o que pede o FBI que, a seu ver, “está a criar um mundo em que os cidadãos confiam na Apple para defender os seus direitos, e não o contrário”.

O conselheiro delegado da Google, Sundar Pichai, também publicou um ‘tweet’ em que dizia: “Forçar as empresas a piratear poderá comprometer a privacidade dos seus utilizadores”.