A publicação «online» Educare.pt avançou hoje, à agência Lusa, que assinala os 13 anos de existência com a reformulação da imagem, do design e da organização dos conteúdos educativos, para se adaptar às plataformas móveis.

«Apercebemo-nos que os nossos utilizadores acedem, cada vez mais, ao "site" através de dispositivos móveis e quisemos acompanhar essa tendência. Por isso, construímo-lo à volta desses novos comportamentos e já se encontra adaptado aos dispositivos fixo e móvel, como "tablets" e "smartphones"», explicou a coordenadora do Educare.pt, Joana Paupério, à agência Lusa.

Para além desta adaptação, o site, que soma 65 mil leitores registados, consta agora de uma comunidade, que procura funcionar como rede social, atribuindo novas competências ao antigo fórum da plataforma.

«Os nossos utilizadores podem agora partilhar vídeos e imagens, tomar conhecimento de concursos e trocar informações, como por exemplo, sobre alojamento e boleias», descreveu Joana Paupério, acrescentando que passou a ser possível criar um perfil e uma rede de amigos.

Segundo a coordenadora do Educare.pt, foi ainda adicionada a área de classificados, destinada a quem trabalha no setor da Educação, «pois há muitos professores à procura de emprego» e que vão poder, desta forma, informar-se sobre oportunidades de «emprego especializado» que surjam no país.

Na área dos conteúdos, o site passou ainda a disponibilizar o acesso a uma base de dados, onde os alunos vão poder aceder a todos os exames realizados nos anos anteriores, para além da já existente consulta gratuita da legislação, calendário escolar e outras informações úteis para alunos, pais e professores.

O Educare.pt - que pertence à Porto Editora mas «é um órgão de comunicação social independente» - dirige-se, especialmente, a alunos, professores, pais e educadores, e foi criado no ano 2000, «para colmatar uma lacuna da informação sobre educação».

Para além da atividade noticiosa diária, a plataforma expõe opiniões e artigos de especialistas em psicologia, pediatria, nutrição, entre outras vertentes da educação.

Em comunicado alusivo a estas transformações no site, o diretor da publicação Rui Pacheco considera que o Educare.pt se afirmou como «o meio de referência na Educação ao não se deixar prender à ditadura da agenda informativa, pelo que as mudanças introduzidas vão ajudar-nos a mostrar, com maior qualidade e alcance, o muito que se faz em várias escolas do país, os projetos que mobilizam, os professores e alunos que se transcendem».