O ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional garantiu que o atendimento da administração pública com os cidadãos «será melhorado» este mês, com a entrada em funcionamento de uma nova aplicação informática.

«É uma aplicação para facilitar a comunicação dos cidadãos com os serviços da administração pública, mas as suas funcionalidades plenas, como marcar o atendimento e pedir uma senha de presença, só depois do verão é que estarão a funcionar», indicou o ministro Miguel Poiares Maduro, este sábado, durante a visita que efetuou ao concelho de Monchique, no Algarve.

De acordo com o governante, a aplicação informática «permitirá aos cidadãos, através da internet ou do telefone, saber mais facilmente qual é o local onde poderão ir para tratar de determinado assunto com a administração pública».

«Esta aplicação indicará também o tempo de espera provável, o que tornará muito mais cómodo para o cidadão o tratamento dos seus assuntos», sublinhou o ministro.

Miguel Poiares Maduro presidiu hoje em Monchique, à cerimónia de assinatura dos primeiros nove protocolos para a instalação de espaços do cidadão nos municípios de Alcoutim, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Monchique, Portimão, Tavira e Vila do Bispo, que deverão entrar em funcionamento ainda este ano.

Nestes espaços descentralizados de atendimento, que poderão ter presentes mais de 18 serviços públicos, será possível tratar de cerca de 80 assuntos, como renovar a carta de condução, entregar documentação para a ADSE ou alterar a morada no cartão de cidadão.

Segundo o ministro, «esta reorganização diz respeito aos serviços de atendimento e não implica encerramentos de repartições de finanças, mas sim integração de serviços em lógica de modelo de lojas do cidadão».

«Um modelo que permite a presença ao nível do município. A racionalidade resulta de se concentrar os serviços num espaço físico comum, o que desde logo gera poupança em matéria de arrendamentos», destacou Poiares Maduro.

O governante acrescentou que, além da presença ao nível municipal através das lojas do cidadão, haverá uma rede complementar que é a rede Espaço do Cidadão, «que vai chegar ao nível da freguesia, permitindo tratar de assuntos ainda com maior proximidade».

«Há casos onde as pessoas têm pouca mobilidade e aí teremos as carrinhas do cidadão que irão onde essas pessoas estão», assegurou.

De acordo com o ministro, a reforma «desta amplitude» irá ser feita gradualmente para afinar o modelo que será implementado em breve a nível piloto «em duas ou três comunidades intermunicipais».

«Esta estratégia vai ser discutida na reunião do conselho de concertação territorial, na próxima semana, e depois serão definidos os critérios que vão determinar a escolha desses dois ou três territórios onde vamos testar esta nova organização na sua globalidade», concluiu Poiares Maduro.