1. ONDE VER - Na sexta-feira ocorre sobre a Europa um eclipse total do Sol. Em Portugal, o fenómeno raro será apenas visível de forma parcial, onde a área solar coberta pela Lua varia entre os 78% — ilhas do Corvo e Flores — e os 55% na ilha da Madeira.


No continente, o eclipse atinge uma maior proporção no norte do país:
 
Cidade Início do Eclipse Eclipse Máximo Final do Eclipse Área Solar coberta
Braga 8:04 9:06 10:14 72%
Porto 8:03 9:05 10:14 72%
Coimbra 8:02 9:04 10:12 70%
Castelo Branco 8:02 9:04 10:12 68%
Lisboa 7:59 9:01 10:08 67%
Évora 8:00 9:02 10:09 66%
Faro 7:57 8:59 10:06 62%

Num mapa interativo disponibilizado por colaboradores da Agência Espacial Norte Americana (NASA), pode observar-se a trajetória da sombra causada pelo eclipse. O leitor pode ainda carregar sobre qualquer zona do mapa abaixo para ter acesso a mais pormenores.




2. CUIDADOS A TER - O Observatório Astronómico de Lisboa (OAL) alerta para alguns dos perigos causados pela observação direta do Sol. Segundo o mesmo, até com a utilização de equipamentos óticos de proteção existem riscos de danos graves e irreversíveis na visão. O OAL recomenda a utilização de filtros específicos e certificados, bem como uma minimização do tempo de observação do eclipse.

3. OS CIENTISTAS - A Agência Espacial Europeia (ESA) vai recorrer a minissatélites para seguir o eclipse. Além do Proba-2 que monitoriza constantemente o Sol, vai empregar outros minissatélites com a função de seguir a sombra da Lua na superfície da Terra.

4. A OPORTUNIDADE - Os eclipses ajudam os astrónomos a determinar e monitorizar, com maior precisão, o diâmetro do Sol.

5. RARIDADE - O próximo eclipse solar visível em Portugal irá ocorrer em 2026. Nessa altura, a cobertura no nosso país será quase total, na ordem dos 95%.

6. CURIOSIDADE - Este eclipse coincide com o equinócio (20 de março). Isto significa que, no Polo Norte, o Sol vai nascer ao fim de seis meses, pondo fim ao inverno Ártico, para pouco depois ser coberto pela Lua.