Para comemorar o 81º aniversário de uma das fotografias mais lendárias e misteriosas do mundo, o Google disponibilizou, esta segunda-feira, um serviço que possibilitou a visita dos internautas ao lago Ness dentro e fora de água. 

A imagem do Monstro do Lago Ness, que mais tarde se veio a provar ser falsa, foi tirada em 1934, pelo cirurgião do exército Robert Wilson. Para comemorar a divulgação da fotografia, o projeto de exploração aquática «Caitlin Seaview Survey» em colaboração com o Google Street View criou um conjunto de imagens do lago e arredores tiradas a 360 graus, que permitem a exploração tanto por cima como por baixo de água. 
  A página inicial do motor de buscas também fazia alusão à fotografia de Wilson, através de um Doodle em que estavam retratados extraterrestres dentro de um submarino em forma de serpente gigante, semelhante ao da mítica imagem, que pedalam para o mover.


«Somos criaturas racionais, mas também imaginativas», afirma o dirigente do «Loch Ness and Morar Project» e protagonista do vídeo promocional do projeto, Adrian Shine. 

A lenda do Monstro do Lago, que contem mais água que todos os lagos de Inglaterra e do País de Gales juntos, é mais procurada no mundo digital (200 mil por mês) do que algumas importantes instituições, como por exemplo o Palácio de Buckingham.