Após quatro adiamentos desde 12 de Fevereiro, a NASA espera poder lançar o vaivém Discovery para a Estação Espacial Internacional (ISS) a 12 de Março, indicou a agência norte-americana, noticia a Lusa.

Uma data precisa para o lançamento será escolhida pelos responsáveis do programa em função do avanço dos trabalhos, dos testes e análises em curso nas três válvulas que controlam a onda de hidrogénio gasosa entre os três motores criogénicos do vaivém e o tanque externo, precisou o comunicado da NASA.

Durante o último lançamento do vaivém Endeavour, em Novembro, uma das três válvulas sofreu uma fissura sem colocar em perigo a tripulação.

Mas a NASA quer estar segura de que o incidente não tenha consequências potencialmente catastróficas se por acaso voltar a acontecer.

A agência espacial quer ter confiança de que estas válvulas vão funcionar perfeitamente durante os oito minutos e metade da ascensão do vaivém para atingir a órbita terrestre.

Os engenheiros no Centro espacial Kennedy, perto de Cabo Canaveral, começaram a retirar as três válvulas do Discovery para as substituir por válvulas utilizadas menos frequentemente.

Os responsáveis da missão vão reunir-se novamente a 4 de Março para passar em revista os novos dados e avaliar os trabalhos em curso, precisa o comunicado.

Nessa altura vão decidir se vão realizar ou não uma reunião a 6 de Março para determinar se o vaivém está pronto para ser lançado.

Se razões técnicas ou o mau tempo impedirem um lançamento a 12 ou 13 de Março, a NASA pode ainda decidir lançar o vaivém a 14 ou 15 de Março, mas reduzindo a duração da missão para não impedir a chegada à ISS de um Soyouz da agência espacial russa, revelou um porta-voz da agência.

Depois destas datas, a NASA deverá esperar até 7 de Abril para lançar o Discovery, altura em que o Soyouz já terá deixado a ISS.

Se o lançamento do Discovery for adiado para Abril, a NASA deve então atrasar um mês o voo do próximo vaivém previsto para Maio para a última missão de reparação do telescópio espacial Hubble.

Transporte de antenas

O Discovery e a sua tripulação de sete astronautas, um dos quais japonês, deve durante esta missão de 14 dias entregar o quarto e último par de antenas solares da ISS.

Estas duplas antenas são necessárias para que a ISS produza suficiente electricidade, indispensável para efectuar todas as experiências científicas dos laboratórios europeus e japoneses entregues em 2008, assim como para responder às necessidades de uma tripulação permanente que deve passar de três para seis pessoas em Maio.

Este será o primeiro lançamento de um vaivém espacial em 2009.

No total, estão ainda previstos nove voos de vaivém para terminar a construção da ISS, um projecto de cem mil milhões de dólares, no qual participam 16 países, e efectuar a última missão de manutenção do Hubble.

Os três vaivéns da frota deverão ser desactivados a 30 de Setembro de 2010.