O vice-presidente do Facebook para a América Latina, o argentino Diego Jorge Dzodan, foi libertado esta quarta-feira, depois de o Tribunal de Justiça de Sergipe lhe ter concedido o habeas corpus. Diego Dzodan tinha sido preso na terça-feira, depois de o Facebook se ter recusado a cumprir uma decisão judicial de partilhar informações trocadas no Whatsapp (propriedade do Facebook) por suspeitos de tráfico de drogas.

Diego Jorge Dzodan vai agora responder ao processo em liberdade, depois de passar a noite numa cela para presos temporários. Quando saiu, foi encaminha de novo à sede da Polícia Federal, em São Paulo, para voltar a ser inquirido.

O Facebook, que já tinha repudiado a detenção de Dzodan ainda na terça-feira, voltou a classificar, esta quarta-feira, a prisão do vice-presidente da empresa para a América Latina como uma medida extrema e desproporcional. Em comunicado, a rede social sublinha que prender uma pessoa que não tem qualquer relação com uma investigação em curso é uma medida arbitrária.

A empresa diz-se “felize pelo Tribunal em Sergipe ter emitido uma liminar ordenando a liberação" do seu vice-presidente e reiterou a disposição para responder a “quaisquer perguntas" das autoridades brasileiras.