O robot Curiosity completa no dia 6 de agosto o terceiro aniversário em solo marciano e a meio do mês de abril captou em alta definição o pôr-do-sol em Marte. Se para muitas pessoas o pôr-do-sol é um momento especial, e cada um tem as próprias preferências de locais para ver a estrela desaparecer no horizonte, imagine então quão especial pode ser ver o pô-do-sol como se estivesse no “Planeta Vermelho”.

 De acordo com o jornal britânico “The Independent”, as imagens foram conseguidas no dia 15 de abril, o 956º dia em Marte do Curiosity, e foram captadas pelo sensor Mastcam que equipa o robô da Agência Espacial norte-americana (NASA).

 



As imagens foram registadas a partir da cratera Gale, onde se encontra estacionado o robô, numa sequência que dá a ilusão de animação. As quatro imagens que compõem a pequena animação distam cerca de seis minutos entre si.




O aspeto azulado do sol está diretamente ligado à camada mais fina de atmosfera que existe em Marte, mas também ao facto de existirem tempestades de pó no planeta. O pó na superfície marciana é composto por finas partículas que filtram a maior parte da luz, mas deixam passar a luz azul do que outras cores com outros comprimentos de onda. O efeito é mais pronunciado na altura do pôr-do-sol, quando a luz incide de forma mais oblíqua, percorrendo um caminho mais longo.

Mas esta não é a primeira vez que investigadores da NASA revelam como é o por do Sol em Marte. Em 2010, na altura com a ajuda do robot Opportunity, tinha sido revelado um vídeo que mostrava o acontecimento: