Este ano, ao contrário do que tem acontecido em edições anteriores, Jeff Moss, fundador do DefCon, pediu aos agentes secretos que não fossem à convenção.

«No que toca a partilhar e socializar com agentes secretos, revelações recentes criaram um ambiente desconfortável nesta relação. Assim, penso que seria o melhor se os agentes secretos não comparecessem na convenção», publicou Moss no site oficial da conferência citado pelo «Mashable».

O pedido do fundador da conferência surgiu como uma surpresa para muitos, e as reações têm sido diversas.

O hacker Shane MacDougall, que tem estado em todas as edições anteriores, explicou que antigamente a conferência era vista como «nós contra os agentes secretos» e agora é diferente.

«Ao longo dos anos, e principalmente depois do 11 de setembro, as mentalidades anti agentes secretos têm mudado», disse num email ao «Mashable».

Embora compreenda a posição de Moss, MacDougall pensa que, agora que as relações são melhores, esta atitude vai fazer com que o ambiente entre os hackers e os agentes secretos que forem à convenção se torne difícil.

«Isto põe-nos em baixo, o que é triste, porque faz com que a interação entre os dois grupos se torne difícil», disse.