Uma 'startup' do Porto criou uma aplicação móvel que identifica o comportamento dos condutores ao volante, com recurso a uma tecnologia de análise facial instalada na câmara frontal dos 'smartphones', e alerta-os para distrações ou adormecimento.

De acordo com um dos fundadores da HealthyRoad, "incubada" no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), André Azevedo, quando a aplicação deteta a distração ou o adormecimento nos utilizadores, estes são avisados através de um sinal sonoro e visual.

Em declarações à agência Lusa, o empreendedor explicou que este sistema utiliza tecnologias de biometria facial no processamento da informação recolhida pela câmara, determinando em tempo real o estado do condutor, "se o olho está aberto ou fechado" ou se "está a olhar para um local que não a estrada".

Na Europa, um terço dos acidentes rodoviários são causados por distração e 20 a 25% por adormecimento", indicou, acrescentando que estes números "não param de aumentar e as pessoas não têm consciência desta realidade".

A aplicação HealthyRoad, que tem o mesmo nome da 'startup', demorou três meses a ser criada e foi apresentada esta segunda-feira. No entanto, André Azevedo, Filipe Oliveira e Filipe Monteiro, os fundadores da empresa, desenvolvem a tecnologia que está na base da 'app' desde 2013.

A equipa tem uma parceria com a BMW, o que lhe permitiu efectuar testes nos simuladores da empresa, receber 'feedback' e planear o 'roadmap' (mapa de estrada) de desenvolvimento de tecnologia "para ir ao encontro das necessidades do setor".

Se tudo correr bem, dentro de dois a três anos vamos ter a nossa tecnologia a funcionar nos veículos deste grupo", indicou ainda André Azevedo.

Neste momento, estão a desenvolver um produto que pode ser instalado nos veículos, capaz de detetar - para além do adormecimento e da distração - a fadiga, as emoções e o 'stress' do condutor, por exemplo.