A agência de publicidade britânica WPP está entre as dezenas de empresas que relatam problemas.

As empresas ucranianas, incluindo um distribuidor de energia estatal e o aeroporto de Kiev revelaram terem sido atingidos também o ataque informático.

Questionado pela BBC, Alan Woodward, informático da Universidade de Surrey, disse que “este vírus parece ser uma variante do que surgiu no ano passado”.

Existem também problemas no banco central ucraniano, no fabricante de aviões Antonov e em dois serviços de correios.

A produtora russa de óleo Rosneft e a empresa de transporte dinamarquesa Maersk também dizem que enfrentam problemas, incluindo nos seus escritórios no Reino Unido e na Irlanda.

A imprensa espanhola relata que os escritórios de grandes multinacionais como o gigante da gastronomia Mondelez e a empresa jurídica DLA Piper sofreram ataques.

Em França, foi afetada uma empresa de materiais de construção, a St. Gobain.

 Relatórios sugerem que o sistema de metro de Kiev parou de aceitar cartões de pagamento, enquanto várias cadeias de postos de gasolina suspenderam as operações.

O vice-primeiro ministro da Ucrânia,Rozenko Pavlo, tuitou uma imagem que parece mostrar que os sistemas governamentais foram atacados.