A Comissão Europeia aprovou esta quinta-feira a compra da aplicação britânica Shazam, que permite identificar canções e letras de músicas, pela tecnológica norte-americana Apple, considerando que a operação não terá efeito “adverso” na concorrência dentro do espaço económico europeu.

Depois de analisar minuciosamente os dados musicais e dos utilizadores do Shazam, consideramos que a aquisição pela Apple não diminuirá a concorrência no mercado da música ‘online’” dentro do espaço económico europeu, não tendo por isso efeitos “adversos”, afirma em comunicado a Comissária Europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager.

Ainda assim, a responsável alerta que os dados pessoais são um elemento “chave” para a economia digital, razão pela qual se deve “analisar cuidadosamente as transações que levam à aquisição de importantes quantidades de dados, incluindo os que são potencialmente sensíveis a nível comercial”.

A decisão ocorre após uma investigação da Comissão Europeia à compra em causa, estimada em cerca de 400 milhões de dólares (quase 345 milhões de euros).