Uma missão lunar chinesa, designada Chang E 4, vai tentar tentar cultivar plantas na Lua, nomeadamente batatas e a erva arabidopsis - também conhecida por agrião de orelha de rato, um género da família vegetal a que pertencem as couves e a mostarda - particularmente importante em termos científicos nos estudos de biologia genética vegetal.

O projeto, apelidado de "mini biosfera lunar", conta com a participação de 28 academias chinesas, lideradas pela Universidade de Chongqing, no sudoeste da China, e deverá ser lançado no final deste ano.

A sonda chinesa irá transportar uma lata com sementes de batata e de arabidopsis, bem como, ovos do bicho-da-seda, para testar o seu cultivo e evolução em ambiente lunar. Todo o processo será resgistado em vídeo e transmitido para Terra.
 
A lata cilíndrica, feita de uma liga especial de alumínio, tem 18 cm de altura, um diâmetro de 16 cm, e pesa três quilos. Conterá água, uma solução nutritiva, ar e equipamentos, como uma pequena câmara e um sistema de transmissão de dados.

Desafio extra-atmosférico

Cientistas chineses já conseguiram cultivar arroz e a fazer crescer a erva arabidopsis no laboratório espacial Tiangong-2, mas numa órbita baixa, a uma altitude de cerca de 400 quilómetros. O ambiente na Lua, a 380 mil quilómetros da Terra, tem, como lembrou o chefe da missão científica Liu Hanlong, uma temperatura entre 100 graus centígrados negativos e mais de 100 graus positivos.

Temos de manter a temperatura na mini biosfera dentro de um intervalo de um a 30 graus e controlar adequadamente a humidade e a nutrição. Usaremos um tubo para direcionar luz natural na superfície da Lua para as plantas crescerem dentro da lata", disse Xie Gengxin, um dos cientistas envolvidos.

Queremos estudar a respiração das sementes e a fotossíntese na Lua", frisou o cientista Liu Hanlong.

Já Xie Gengxin, um dos responsáveis pelo projeto, referiu ao jornal chinês Xinhua que a escolha deste tipo de sementes se prende com o facto de o "período de crescimento da planta ser curto e fácil de observar", acrescentando mesmo que "a batata pode ser uma boa fonte de alimento para os futuros viajantes espaciais".