O que é que todas as pessoas de olhos azuis têm em comum? A resposta está no período Mesolítico.

Uma descoberta recente aponta para que todos os indivíduos com olhos azuis partilhem uma mutação genética que teve lugar há 7 mil anos e que pode ter ocorrido primeiramente na Península Ibérica.

Em 2006, em Espanha, foram encontrados numa caverna restos mortais daquela que pode ter sido a primeira pessoa com olhos azuis no mundo. Estudadas as ossadas, descobriu-se que pertenciam a um indivíduo que, apesar de ter olhos claros, teria genes africanos.

No entanto, estes genes também tinham variações correspondentes aos dos europeus e escandinavos modernos.
 

A maior surpresa foi ter descoberto que o indivíduo possuía versões dos genes africanos que tinham determinado a pigmentação clara dos europeus modernos, o que indica que tinha pele escura”, explicou o biólogo Carles Lalueza-Fox, quando o primeiro estudo sobre o tópico saiu, em 2014. “Mas mais surpreendente que isso foi descobrir que tinha variações genéticas, que tinham resultado de um único fenótipo num genoma que seria, de outra forma, claramente da Europa do Norte.


A pesquisa fez com que os cientistas concluíssem que os “olhos azuis nos humanos modernos estão relacionados com um gene chamado HERC2”. Se os indivíduos tiverem esta mutação nas duas cópias do cromossoma terão de certeza olhos azuis.

De acordo ainda com o  The Independent , as descobertas terão sido feitas através do estudo de ADN de um dente bem preservado.