O investigador Henrique Veiga-Fernandes, que estuda o papel de determinadas células na defesa contra infeções intestinais, recebeu o prémio Senior Research Award, de 225 mil euros, atribuído por uma organização norte-americana de doentes de Crohn, foi hoje anunciado.

Henrique Veiga-Fernandes lidera uma equipa do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, tendo o seu projeto sido um dos oito premiados pela Crohn` and Colitis Foundation of America's (CCFA), informou hoje a instituição universitária portuguesa, em comunicado.

Em declarações à agência Lusa, o cientista explicou que a sua equipa, depois de ter descoberto que as células inatas linfoides «protegem o intestino da inflamação, infeção», quer perceber por que motivo isso nem sempre acontece e ocorrem patologias crónicas como a doença de Crohn.

O investigador compara aquelas células do sistema imunitário a um regulador da intensidade da luz, que funciona de forma deficiente quando há uma inflamação intestinal.

«Numa situação em que há inflamação pode ser que a luz esteja baixa demais. Mas, se aumentarmos a luz, vamos reverter para uma situação de saúde, para um intestino saudável», exemplificou.

A investigação de Henrique Veiga-Fernandes, que será testada em animais, e, posteriormente, em humanos, foi a única portuguesa premiada pela CCFA, de um total de 69 projetos avaliados.

Os restantes sete premiados foram todos norte-americanos.

A CCFA é uma organização não-governamental com mais de 50 mil membros que, entre as suas atividades, apoia programas de educação e investigação das patologias inflamatórias do intestino, como colites e a Doença de Crohn.