A investigação tem como objetivo "conhecer as causas e os mecanismos cerebrais que podem estar alterados" na neurofibromatose de tipo 1 (NF1), uma patologia genética, geralmente benigna - em que a formação de pequenos tumores externos devido ao crescimento anormal do tecido nervoso ocorre pela redução de uma proteína utilizada pelo corpo humano precisamente para evitar o surgimento de tumores - mas que pode provocar perdas de visão.