A Samsung informou, esta segunda-feira, que interrompeu temporariamente o acordo com um fornecedor da China por causa de uma denúncia de que a empresa utiliza mão-de-obra infantil na linha de produção, noticia a Associated Press.

A semana passada, a organização sem fins lucrativos China Labor Watch acusou a empresa sul-coreana de fazer vista grossa ao uso do trabalho infantil por parte do fornecedor Shinyang Electronics, que produz algumas peças de telemóveis para a Samsung na fábrica em Dongguan, na China.

Após a denúncia, a Samsung informou que realizou uma investigação independente e que encontrou evidências de contratações ilegais de menores por parte da Shinyang Electronics e que, por isso, decidiu cortar relações temporariamente com a empresa.

«As autoridades chinesas também estão a investigar o caso», refere a Samsung em comunicado. A empresa sul-coreana acrescenta que «se as investigações concluírem que a Shinyang de facto contratou crianças ilegalmente, irá suspender de forma definitiva o negócio com a empresa» chinesa.