Uma equipa de investigadores chineses desenvolveu um possível inibidor do vírus Zika baseado em moléculas, que foi testado em ratos e poderá ajudar a combater a propagação do vírus entre seres humanos.

Segundo o jornal Shanghai Daily, a equipa é constituída por cientistas da Universidade de Fudan e do Instituto de Microbiologia e Epidemiologia de Pequim.

Os resultados do estudo foram publicados na terça-feira no portal na internet Nature Communications.

A equipa desenvolveu um péptido sintético, moléculas biológicas constituídas por uma cadeia de aminoácidos, derivado da proteína de envelope do Zika, designada Z2, que pode inibir a infeção com o vírus.

O tratamento mostrou-se eficaz em ratos de laboratório, que os investigadores querem agora melhorar para poder ser aplicado em humanos.

O vírus zika pode provocar microcefalia no feto quando infeta mulheres grávidas. Não existe qualquer tratamento ou vacina para a doença.