O maior acelerador de partículas do mundo, parado há dois anos, vai voltar a funcionar em 2015, com quase o dobro da energia da primeira fase de exploração, anunciou esta sexta-feira a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear/CERN.

O Grande Colisionador de Hadrões (LHC) teve uma paragem técnica há dois anos, e a primeira etapa para repor a sua operacionalidade foi realizada, com sucesso, na terça-feira, informou em comunicado o CERN, do qual Portugal é um dos países-membros.

O segundo período de exploração, com início previsto para março, daquele que é o acelerador de protões mais potente terá uma duração de três anos, adianta a nota, disponível no portal da organização.

A paragem técnica visou preparar o conjunto da máquina supercondutora, de 27 quilómetros de comprimento, localizada no subsolo, para funcionar com energia «cerca de duas vezes superior à do primeiro período de exploração», que confirmou a existência do Bosão de Higgs.

O acelerador foi arrefecido e atingiu praticamente a sua temperatura de exploração nominal, isto é, 1,9 graus acima do zero absoluto.

«É praticamente uma máquina nova», declarou o diretor de aceleradores e tecnologia do CERN, Frédérick Bordry, citado no comunicado.

Para o diretor-geral do CERN, Rolf Heuer, o Grande Colisionador de Hadrões, com «esta energia inédita», vai «abrir novos horizontes para a Física e futuras descobertas».