A equipa, que trabalha no Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP), é liderada por Hugo Prazeres e integra também os investigadores Catarina Salgado, Paula Soares e João Vinagre.

O projeto de investigação Uromonitor desenvolveu "um ensaio ultra-sensível de diagnóstico hospitalar" que, ao contrário do teste tradicional de deteção do cancro da bexiga - que introduz uma sonda pela uretra até à bexiga (Citoscopia) - "é não invasivo", pelo que é menos desconfortável para o utente.

"O prémio reconhece a aposta na materialização do conhecimento gerado em investigação científica em instituições nacionais num produto ou serviço com utilização clínica que traz benefícios para os doentes e uma significativa redução de custos", explicou o investigador Hugo Prazeres.

Por outro lado, Hugo Prazeres salienta que a decisão de concorrer ao prémio everis faz parte de uma estratégia da equipa para ter apoio de eventuais investidores, para que possam obter financiamento para lançar o Uromonitor no mercado global.

O "chairman" da entidade que atribuiu o prémio de 60 mil euros à equipa do IPATIMUP, o português António Brandão de Vasconcelos, considerou que "é um grande orgulho ver um projeto português obter o primeiro prémio".

"A Fundação everis tem distinguido [nos últimos 14 anos] projetos de elevado valor, que pressupõem um grande conhecimento e investigação [...]. Este é sem dúvida o reconhecimento da qualidade da investigação que é feita hoje em Portugal, que pouco a pouco se tem vindo mostrar para o mercado", sublinhou.

O projeto Uromonitor foi o primeiro classificado de um total de 400 trabalhos admitidos a concurso.

Como vencedor do Prémio Empreendedores, o projeto da equipa do IPATIMUP participará nos Prémios Ibero-americanos para a Inovação e Empreendedorismo, convocados pela Secretaria Geral Ibero-americana.