Cerca de 10.000 pessoas estão inscritas no curso online que a Universidade de Edimburgo, na Escócia, vai ministrar sobre o Bosão de Higgs, a partícula subatómica descoberta pelo cientista britânico Peter Higgs, que trabalhou naquela instituição de ensino.

O bosão de Higgs, mais conhecido como «a partícula de Deus», é um fragmento elementar considerado pelos físicos como a união da estrutura fundamental da matéria. A sua descoberta é tida como a mais importante da história desta área científica, que conferiu o prémio Nobel da Física em 2013 ao belga François Englert e o britânico Peter Higgs.

Intitulado «A descoberta de Bosão de Higgs», o curso virtual gratuito sobre a teoria do cientista britânico vai decorrer nas próximas sete semanas na Universidade escocesa, onde os participantes vão aprender o processo científico levado a cabo no estudo de Peter Higgs e François Englert.

O curso é desenvolvido pela plataforma FutureLearn, uma parceria entre 23 universidades, o Museu Britânico, a Biblioteca Britânica e o British Council.

«A investigação do professor Higgs deu-nos uma profunda compreensão do desenvolvimento do universo e este curso vai permitir que qualquer pessoa com um computador e acesso à web possa participar de um momento emocionante e revolucionário em que vivemos», considerou hoje o diretor de Física e Astronomia da Universidade de Edimburgo, Arthur Trew.

O Bosão de Higgs foi teorizado por Higgs em 1964 para explicar o que deu massa à matéria quando o Universo arrefeceu após o Big Bang.

No ano passado, a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) deu como provado, em 99 por cento, a descoberta da nova «partícula de Deus» que afirmava poder ser o bosão de Higgs.

O bosão de Higgs combina duas forças da natureza e mostra que são, de facto, aspetos diferentes de uma mesma força maior, sendo que esta partícula é a responsável pela existência de massa nas partículas elementares.