A aplicação de troca de mensagens instantâneas "Whatsapp" já está a ser restabelecida no Brasil. As operadoras de telecomunicações estão a ser notificadas para desbloquear o serviço.

Desde a meia-noite que o "Whatsapp", que também permite chamadas através da internet, estava bloqueado em todo o país por ordem do Tribunal de Justiça de São Paulo.

O juiz tinha decidido bloquear a aplicação durante 48 horas, na sequência de um processo que decorre em segredo de justiça. Segundo o jornal Folha de São Paulo, a empresa não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho deste ano. A empresa terá sido notificada a 7 de agosto e foi-lhe fixada uma multa em caso de incumprimento. 

Segundo o tribunal, o "Whatsapp" não atendeu à determinação novamente e as principais operadoras de telecomunicações no Brasil foram obrigadas a acatar a ordem.

O Tribunal de Justiça de São Paulo reverte agora a decisão e reconhece que não é "razoável que milhões de utilizadores sejam afetados pela inércia da empresa em fornecer informações à justiça". 

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, que comprou o "Whatsapp" em 2014, tinha já reagido à decisão judicial brasileira com um breve texto publicado nas redes sociais. O líder do Facebook dizia-se "chocado" e afirmava que é "um dia triste para o Brasil", onde a aplicação tem cerca de 100 milhões de utilizadores.
 

Tonight, a Brazilian judge blocked WhatsApp for more than 100 million people who rely on it in her country.We are...

Publicado por Mark Zuckerberg em  Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2015

Também Jan Koum, co-fundador e presidente-executivo do WhatsApp, escreveu no seu Facebook que a empresa estava "desapontada com a decisão míope de bloquear o acesso" à aplicação e que "é triste ver o Brasil isolar-se do mundo".
 

We are disappointed in the short-sighted decision to cut off access to WhatsApp, a communication tool that so many...

Publicado por Jan Koum em  Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2015

O Facebook anunciou, em fevereiro de 2014, a compra do "Whatsapp" por quase 12 mil milhões de euros.