A empresa Boston Dynamics partilhou esta semana um vídeo que se tornou viral. A intenção era mostrar como os cães-robôs que desenvolvem estão a evoluir tecnologicamente, mas o resultado tem ido muito além da mera curiosidade pela inovação.

No vídeo, pode ver-se um cão-robô a aproximar-se de uma porta fechada e, perante o obstáculo, a pedir ajuda a um “colega”, que tem uma “mãozinha” extra para abrir a porta e deixá-lo passar.

O vídeo tem quase cinco milhões de visualizações no YouTube e muitas mais partilhas e comentários nas outras redes sociais. É que, para quem assistiu à série Black Mirror, ele é bastante assustador.

O 5º episódio da 4ª temporada desta série, chamado “Metalhead”, tem como personagens principais precisamente uns cães-robôs muito semelhantes aos da Boston Dynamics – aliás, foram inspirados neles.

Na ficção, estes “animais” tecnológicos fazem parte de um cenário apocalítico, dedicando-se a matar a Humanidade. Na realidade, estes robôs chamam-se SpotMini, pesam cerca de 25 quilos, têm uma bateria elétrica e, para já, só fazem tarefas ligeiras como abrir portas, usando sensores de perceção.

O objetivo da Boston Dynamics não será totalmente inocente: saberiam, claro, que os muitos fãs da série iriam ficar assustados ao ver quão próximas podem estar ficção e realidade, no que à tecnologia diz respeito. E conseguiram. Basta ver alguns comentários nas redes sociais:

A Boston Dynamics já tinha partilhado outro vídeo do SpotMini, que teve mais de 10 milhões de visualizações. Neste caso, só vemos o cão-robô a passear alegremente. Seja como for, o debate está lançado: até onde vamos deixar ir a Inteligência Artificial?