Cerca de 200 mensagens, a maioria jocosas, foram publicadas num site do domínio do FBI por parte ex-utilizadores do site de venda de drogas e outros bens ilegais, «Silk Road», que contestam a apreensão das suas «bitcoins» pela agência, avançou, esta segunda-feira, o «The Guardian».

A partida está ligada ao encerramento do site a 2 de outubro pelo FBI, que apreendeu 26.000 Bitcoins (uma moeda exclusiva do online, não reconhecida legalmente), cerca de 3.2 milhões de dólares, dos utilizadores, colocados num novo domínio (no site blockchain.info) para permitir aos mesmo a gestão das suas posses.

No entanto, alguns destes utilizadores conseguiram um acesso maior ao site e acabaram por utilizá-lo para postar mensagens de descontentamento para com a agência, fazer transações mínimas (0.00000001 BTC) ou mesmo publicações pró-drogas, visíveis para qualquer pessoa.

«Levem as drogas, levem o domínio, mas não levem as Bitcoins das pessoas. Esta apreensão só foi legal porque a Bitcoin não é uma moeda reconhecida», escreveu um dos utilizadores.

«Os músicos que fizeram toda a grande música que melhorou as nossas vidas ao longo dos anos estavam completamente "mocados"», lia-se noutro. «Os Beatles estavam tão "mocados" que até deixaram o Ringo cantar umas notas».

«Estou tão "pedrado" que não sei o que estou a fazer» lia-se em mais uma publicação anónima em destaque no site à hora que se escreve esta notícia.

«Muitos dos itens vendidos em Silk Road eram perfeitamente legais» dizia uma nota mais séria. «Não há forma de saber se esses fundos iam servir para adquirir material ilegal. Os utilizadores deviam poder reaver os seus fundos.»

A agência norte-americana está ainda a tentar recuperar cerca de 80 milhões de dólares em bitcoins (600.000 BTC) acumulados por Ross Ulbricht, o alegado criador e administrador do site que já foi preso.