A gigante tenológica Apple vai ocupar um novo espaço com mais de 46 mil metros quadrados na central elétrica de Battersea (na foto), na margem sul do rio Tamisa, em Londres.

Para o desenvolvimento do projeto a gigante da maçã vai movimentar cerca de 1.400 colaboradores até 2021, anunciou esta quarta-feira em comunicado citado pela Bloomberg.

O leasing da Apple vai ser responsável por cerca de 40% do arrendamento desta área de escritórios que ainda está em construção.

O acordo é um "sinal de que Londres está aberta às maiores marcas do mundo e a principal cidade para negócios e investimento", disse o presidente da câmara de Londres, Sadiq Khan.

Desde a crise financeira, as empresas, incluindo Facebook, Apple e Amazon têm-se expandido em Londres, enquanto os bancos se tem retraído. As empresas de tecnologia e media eram responsáveis ​​pela ocupação de cerca de 31 milhões de quadrados de espaço total de escritórios na capital britânica no ano passado. Muito perto dos 48,5 milhões de metros quadrados ocupados pelo setor financeiro, de acordo com dados do Colliers International Group.

"É uma grande oportunidade para ter toda a nossa equipa a trabalhar e a colaborar num único local, apoiando a renovação de um bairro rico de história da cidade", disse a Apple num email.