Um fragmento de um comenta sobrevoou, esta madrugada, Portugal e Espanha. Em Portugal passou sobre Santo Aleixo da Restauração, no concelho de Moura e, em Espanha, acabou por se desintegrar em Fregenal de la Sierra, na região de Badajoz.

O pedaço do cometa entrou na atmosfera terrestre na madrugada de quarta-feira, às 04:50, e foi registado pelos detetores da Universidade de Huelva, que trabalha em conjunto com o Complexo Astronómico de La Hita, sediado em Toledo. Foi esta instituição que divulgou informação sobre o sucedido, que ficou registado em vídeo.



O fragmento, composto por gelo e rocha, entrou na atmosfera “a 95 quilómetros de altitude e a uma velocidade superior a 100 mil quilómetros por hora”. 

Numa primeira análise sobre o fenómeno, José María Madiedo, professor na Universidade de Huelva, explicou que a desintegração, que aconteceu a 35 quilómetros de altura, provocou “uma grande bola de fogo, tão brilhante como uma lua cheia”.

Este especialista acrescentou ainda que o fragmento acabou por penetrar mais “do que o habitual” na atmosfera terrestre já que, normalmente, desintegram-se a 70/80 quilómetros. Os dados recolhidos vão ser analisados e os investigadores esperam encontrar algumas respostas como, por exemplo, que cometa libertou o bocado de rocha.