A investigação foi levada a cabo por cientistas sul-americanos e foi publicada pela revista «Journal of Vertebrate Paleontology». Isto depois de o esqueleto ter sido encontrado a sul da localidade de Mar de la Plata, perto de Buenos Aires, na Argentina, por uma equipa dirigida por Fernando Scaglia, do Museu Municipal de Ciência Naturais Lorenzo Scaglia.

 

Para além de terem descoberto uma espécie extinta, os investigadores este é o esqueleto de ave mais completo alguma vez encontrado, tanto pelas condições de preservação, como pela quantidade de ossos. Mede 1,22 metros de altura.

Journal of Vertebrate Paleontology

Grandes e imponentes, sabe-se agora que, embora fossem aves do terror, estes animais ouviam mal, adianta o mesmo estudo. 

 

Para compensar, tinham bocas de fazer medo às presas, segundo o autor principal do estudo, Federico Degrange: «Agora sabemos que tinham uma  grande mandíbula e os músculos  da boca estavam muito desenvolvidos», explicou, citado pelo jornal espanhol «ABC».

 

Eram os predadores dominantes na América do Sul quando começou a extinção dos dinossauros, há 65 milhões de anos atrás.

 

«A descoberta desta espécie dirá mais no futuro sobre o declínio e a extinção deste grupo fascinante de pássaros»

« Llallawavis scagliai» não é a maior ave do tempo dos dinossauros encontrada até ao momento, mas foi uma das últimas espécies de «aves do terror» que habitaram o planeta naquela altura.

                                                         ( Journal of Vertebrate Paleontology)