Alunos australianos com necessidades especiais estão a ser incentivados a jogar Pokémon Go, dentro e fora das salas de aula.

A notícia pode chocar os mais "info-excluídos", mas os resultados de um estudo sobre os efeitos positivos do jogo na sociabilidade e aprendizagem de crianças autistas dão força à tese defendida por um investigador australiano.

Craig Smith, professor e investigador especialista em autismo, concluiu que, ao ser permitido às crianças autistas jogarem Pokémon Go dentro e fora das salas de aula, a capacidade de interação social melhora e o nível de concentração nos estudos aumenta.

Neste sentido, a escola para crianças com onde leciona, na Austrália, incentiva os seus alunos a aderirem ao maior fenómeno dos jogos de realidade aumentada dos últimos tempos.

Para muitas das crianças, é difícil envolverem-se em atividades sociais. Mas com a loucura dos Pokémons estes alunos estão a conversar uns com os outros e a encorajar-se mutuamente a participar em atividades socais através do jogo", disse o especialista ao jornal The Independent.

O especialista considera que para uma criança com dificuldade de aprendizagem, interação e convívio, o Pokémon Go quebra barreiras nunca antes ultrapassadas por outro método ou técnica de ensino. Assim sendo, jogar Pokémon Go trata-se de uma mais-valia por diversos motivos, uma vez que incentiva estas crianças a brincar no exterior e a interagir com outras pessoas.

O jogo dá às crianças a confiança para superarem os seus limites sociais", acrescentou Smith.

O especialista indicou ainda que, tal como muitos outros professores, acredita que todas as escolas, não só as que se dedicam a necessidades educativas especiais, devem aderir a esta tendência. Craig Smith espera que os docentes considerem os seus conselhos e passem a usar o jogo como uma ferramenta de aprendizagem. E dá exemplos:

O jogo pode ser usado como revistas ambulantes onde os alunos são convidados a seguirem uma história ou um mapa, e isso vai ajudá-los a desenvolver competências como a criatividade e até mesmo melhorar as suas habilidades matemáticas"

O Pokémon Go surgiu no mundo das aplicações para telemóvel como a galinha dos ovos de ouro da Nintendo e está a contagiar o mundo. Só em Portugal, o número de utilizadores já ultrapassou um milhão desde sexta-feira. O objetivo recorda a série de desenhos animados e manda "apanhá-los todos", para isso o jogador tem de seguir o caminho indicado na aplicação até encontrar o Pokémon e capturá-lo.