Um estudo publicado esta quinta-feira na Austrália revela que as tartarugas são capazes de nadar mais de cem quilómetros depois de terem estado em cativeiro, incluindo durante mais de um ano, com o objetivo de regressar a casa.

Perdemos contacto com os aparelhos de rastreio colocados em duas delas, mas todas, à exceção de uma, regressaram a casa”, afirmou Takashiro Shimada, especialista da Universidade James Cook e autor do estudo, que seguiu 59 tartarugas.

A investigação revelou que a maioria das tartarugas que passaram algum tempo em cativeiro - curtos períodos ou mais de 500 dias sob cuidados devido a lesões - encontrou o caminho de regresso ao local onde haviam sido encontradas, segundo um comunicado da Universidade James Cook.