O botão de segurança do Facebook foi ativado pela segunda vez no espaço de uma semana. O sistema foi ativado pela primeira vez na Nigéria, depois do atentado desta terça-feira, que matou 32 pessoas.

Mark Zuckerberg anunciou a ativação numa publicação do Facebook, afirmando que, “depois dos ataques da semana passada em Paris”, a rede social vai disponibilizar o botão “para mais eventos trágicos que aconteçam no futuro”.



De acordo com a AFP, a medida surgiu depois da rede social ter sido fortemente criticada por não ter disponibilizado o botão de segurança depois dos ataques em Beirute, mas apenas nos atentados em França, onde os utilizadores puderam usar o serviço para informar os amigos que estavam a salvo.

A ferramenta foi usada, inicialmente, unicamente para dar conta da segurança dos utilizadores durante desastres naturais, como terramotos. Contudo, o Facebook garantiu que iria estar disponível mais vezes, a partir de agora, mas que ainda estão a ser desenvolvidos “critérios” para “determinar quando e como este serviço pode ser mais útil”.

Mark Zuckerberg deixou ainda uma mensagem de esperança no Facebook:
 

“Não deixem que uma pequena minoria de extremistas vos tornem pessimistas quanto ao futuro”.


Ainda ninguém reivindicou o ataque na Nigéria, mas pensa-se que possa ter tido da autoria do grupo extremista Boko Haram, que tem perpetrado atentados sucessivos no país.