Afinal, poderão existia, pelo menos, mais dois planetas no Sistema Solar que ainda não foram descobertos. É o que acreditam astrónomos espanhóis e britânicos. A hipótese é avançada num estudo publicado no boletim mensal da Royal Astronomical Society do Reino Unido. 

Os investigadores referem que o comportamento anormal de objetos espaciais para lá de Neptuno sugerem a existência de corpos espaciais do tamanho de planetas, cita a Lusa.

Se nada existisse para lá desse planeta - o oitavo e último no elenco oficial de planetas do sistema solar, depois da retirada de Plutão da lista - esses objetos espaciais deveriam estar dispostos numa faixa uniforme orbitando a uma distância de 22,5 mil milhões de quilómetros do Sol.

Recorde-se que, por outro lado, no início deste ano, o Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics (centro de astrofísica, em português) avançou que há oito novos planetas com possibilidade de ter vida

Os exoplanetas, exo porque orbitam em torno de outra estrela que não o sol, encontram-se a uma boa distância da sua estrela fonte de calor e luz. Isto faz com que possam ter água em vez de gelo, se estivessem mais longe, ou vapor, caso estivessem mais perto. Para além disso, têm «mais ou menos o tamanho certo» e luz suficiente.