Astrónomos identificaram um grupo de nove estrelas 30 milhões de vezes mais brilhantes do que o Sol, sendo a maior amostra, até agora conhecida, de estrelas 'supermassivas', revela hoje um estudo publicado pela Royal Astronomical Society.

Cientistas da Universidade de Sheffield, no Reino Unido, socorreram-se de imagens do telescópio espacial Hubble para detetar o grupo de estrelas, a 170 mil anos-luz da Terra.

O aglomerado estelar em causa, o R136, está localizado na Nebulosa da Tarântula, região da Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia anã em torno da Via Láctea, onde se situa a Terra.