Nasceu este domingo a primeira e única Super Lua deste ano. É a última lua cheia do ano, a maior e a mais brilhante. A Super Lua acontece porque o satélite natural se encontra simultaneamente em fase de Lua Cheia e coincide com o ponto de maior aproximação com a Terra. Mais precisamente: a Lua está a uma distância da Terra inferior a 110% do perigeu da sua órbita, explica o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

A Super Lua nasceu este domingo às 15:47 (hora de Lisboa) e atinge o ponto mais próximo da Terra (perigeu) segunda-feira às 08:45 (a 357492,089 quilómetros da Terra).

Se olhar para o céu vai reparar que a Lua está mais brilhante e parece maior do que o habitual, também porque estando próxima do horizonte parece mais ampliada, mas é “apenas uma ilusão de óptica", explica o Observatório. 

Na segunda-feira, a Lua nasce às 18:30 e continuará a parecer maior do que o habitual. O local ideal para se observar a Super Lua é aquele que tenha o horizonte desimpedido na direção NE, pois a Lua nasce com o azimute 113º contado de Sul para Este, refere ainda o Observatório. 

Mas, se por algum motivo, não conseguir admirar o fenómeno, não desanime porque 2018 começa com outra Super Lua, logo no primeiro dia de janeiro.