Investigadores da Universidade de Ibaraki, Japão, detetaram sinais da formação de um novo planeta a 176 anos-luz de distância da Terra, divulgou o Observatório Nacional de Astronomia do país.

Os astrónomos, liderados pelo professor Takashi Tsukagoshi, observaram a jovem estrela TW Hydrae (que terá apenas cerca de 10 milhões de anos), uma das mais próximas da Terra, e detetaram que está a dar origem a novos planetas.

Cientistas já tinham observado o enorme disco de pequenas partículas que circula a estrela, que contém várias “falhas”, o que sugere que ali vão surgir novos planetas.

Os investigadores analisaram mais atentamente as imagens deste disco tiradas pelo telescópio Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), localizado no Chile, e concluíram que há pelo menos um novo planeta a formar-se, um gigante de gelo, semelhante a Urânio e Neptuno.

Estrela TW Hydrae (Foto: ALMA)

A “falha” no disco de partículas em torno do sol sugere que um corpo grande está localizado ali, capaz de “empurrar” partículas maiores, mantendo as pequenas naquele intervalo.

O jovem planeta estará localizado a uma distância e 22 AU da sua estrela, isto é, 22 vezes a distância da Terra do Sol (cerca de 150 milhões de quilómetros).