O Telescópio Alma, situado no Chile, captou uma imagem, com grande pormenor, de uma estrela recém-nascida, expelindo gás e poeira.

O Observatório Europeu do Sul divulgou a informação no seu site e explica: «Com o auxílio do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), os astrónomos obtiveram um plano de pormenor muito vívido do material que se afasta de uma estrela recém-nascida. Ao observar o brilho emitido pelas moléculas de monóxido de carbono num objeto chamado Herbig-Haro 46/47, os astrónomos descobriram que os seus jatos são ainda mais energéticos».

As imagens, recolhidas em cinco horas, vai permitir que uma equipe de astrónomos estude o raro fenómeno.

Hector Arce, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, chefia a equipa de investigadores que se dedica ao fenómeno e explica à EFE que «a alta sensibilidade do ALMA permite detetar características nunca antes vistas».

Outro dos investigadores, Stuartt Corder do Observatorio ALMA, no Chile, conclui que o telescópio «permite detetar características do fluxo de material com muito mais clareza do que estudos anteriores. Isso vai revelar muitas surpresas e descobertas fascinantes. ALMA irá revolucionar o campo da formação de estrelas».