Um golpe de sorte e uma atitude arrojada permitiu que dois jovens estudantes portugueses de 16 anos conseguissem entrar na Web Summit para "apresentar ao mundo” o seu sonho de criar uma plataforma online para consertar telemóveis.

Afonso e João, dois estudantes do 12.ºano da área de ciências da Escola Secundária Garcia de Orta, no Porto, “aterraram” na Web Summit graças a um canadiano que tinha dois bilhetes a mais.

“Havia uns bilhetes para os ‘inspire’ que estavam a ser sorteados mas quando os fomos comprar já estavam esgotados. Então pesquisamos no Twitter através da 'hastag' Web Summit e encontrámos um senhor canadiano que tinha três bilhetes Alpha e só iria usar um. Gostou da nossa ideia e ofereceu-nos”, explicou Afonso Carvalho em declarações à Lusa.

O sonho de estar no que chamam “o centro do empreendedorismo” começou a tornar-se realidade e a ideia que tiveram em 2016 tem agora possibilidade de se tornar real se a sorte assim o determinar.

”É mais uma ideia do que propriamente uma startup. Queremos evoluir para uma plataforma”, explicou Afonso adiantando que esta vontade de avançar para um projeto surgiu quando em 2016 o seu telefone avariou.

Na verdade, segundo Afonso Carvalho, o objetivo é ter uma espécie de “uber” do telemóvel, um sistema onde qualquer pessoa pudesse rapidamente encontrar alguém que soubesse consertar o dispositivo e, frisou, de preferência a um custo reduzido.

Os amigos do Afonso e do João têm sido as cobaias deste projeto mais que embrionário. Via Facebook os jovens “engenhocas” que querem seguir a área de informática, criaram uma rede para solucionar rapidamente os problemas técnicos que surgem.

João Silva, parceiro de turma do Afonso, já conserta “máquinas” desde os 14 anos. Diz que é uma paixão de sempre e que agora pode ir mais longe.

“A nossa ideia é inovadora no mercado porque é uma forma intuitiva do consumidor final resolver o problema sem ter de se deslocar ou preocupar. Também percebo um pouco da área das reparações e ingressei com ele nesta aventura”, disse.

A aventura dos dois jovens levou-os a um local que consideram ser o certo para apresentar as suas ideias e uma referência no mundo da inovação e do empreendedorismo.

“É a primeira vez e foi inesperada a nossa vinda”, disse João Silva

O golpe de sorte e a atitude arrojada dos dois adolescentes colocaram-nos a falar com mentores e hoje o sonho comum é poder estar em 2018 a apresentar não uma ideia, mas sim um projeto concreto.

“Tudo isto é novo para nós. Viemos aqui adquirir conhecimento e é por isso que estamos cá. Esperamos voltar para o ano e mostrar o resultado de tudo o que aprendemos”, afirmaram.

A Web Summit decorre até quinta-feira, no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa.

Segundo a organização, nesta segunda edição do evento em Portugal, participam 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1.200 oradores, duas mil 'startups', 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa por três anos, com possibilidade de mais dois de permanência na capital portuguesa.