O Perú, país sul-americano com um vasto património histórico, juntou drones às clássicas ferramentas de arqueologia para registar e proteger os seus locais arqueológicos de danos climáticos e humanos.

O uso destes equipamentos permitiu registar até ao momento 375 locais arqueológicos, que representam 63,5% daqueles que se encontram na zona metropolitana de Lima, na sua maioria perdidos entre edifícios e avenidas da cidade que possui mais de nove milhões de habitantes.

O coordenador da área de fotografia cartográfica do Ministério da Cultura, Aldo Watanave, explicou à agência espanhola de notícias EFE, que era difícil elaborar um registo de locais arqueológicos quando não contavam com os aviões não tripulados.