Arqueólogos descobriram na China o esqueleto de uma mãe entrelaçado ao do filho. O abraço amoroso da progenitora durou 4000 anos, uma vez que os investigadores acreditam que os dois morreram no ano 2000 Antes de Cristo. Os mesmos arqueológos admitem que a mãe terá tentado proteger o filho durante um forte sismo que, naquela altura, atingiu a província de Qinghai, na China central.
 
De acordo com o People’s Daily Online, os restos mortais foram desenterrados numa escavação arqueológica da Idade do Bronze. No curso superior do Rio Amarelo, na China, em Minhe County, no noroeste da província de Qinghai, encontra-se uma área conhecida por Lajia. Evidências da cultura da Idade do Bronze ainda estão ali a ser descobertas, incluindo esqueletos de pessoas que morreram durante o terramoto que devastou aquela área por volta de 2000 A.C. 

Surpreendentemente, os esqueletos estão bem preservados e encontram-se nas posições em que ficaram soterrados durante o sismo. O mais emocionante é precisamente o de uma mãe a abraçar o filho. Essa imagem está a tocar o coração de muitos internautas chineses.