Quatro projetos portugueses de arquitetura foram distinguidos pela plataforma norte-americana online Architizer A+, nas áreas da reabilitação, residencial, instalações de educação e espaços comerciais, foi anunciado esta terça-feira.

Os prémios são promovidos a nível mundial pelo sítio na internet de divulgação de arquitetura Architizer A+, e os vencedores são escolhidos pelo público e por um júri composto por nomes conceituados da área da arquitetura e do design, como Sou Fujimoto e Rem Koolhaas.

O ateliê de arquitetura Tiago do Vale, em Braga, conquistou um primeiro prémio na categoria de reabilitação da Architizer A+ com o projeto Chalé das Três Esquinas.

O Chalé das Três Esquinas, um edifício oitocentista que foi alvo de um projeto de reabilitação desenhado pelo ateliê bracarense Tiago do Vale Arquitectos.

O mesmo projeto foi premiado no ano passado no concurso internacional ArchDaily, também na categoria de restauro.

Na categoria residencial foi distinguido o projeto de Rui Vieira Oliveira + Vasco Manuel Fernandes, pela Casa Taíde, em Póvoa de Lanhoso.

Na subcategoria de instalações educativas foi distinguido o projeto de Pedro Reis com a Escola Superior de Desporto e Lazer de Melgaço. E, na categoria de espaços comerciais, foi escolhido o projeto de Jorge Mealha com o Parque Tecnológico de Óbidos.

Houve seis finalistas portugueses apurados entre os 250 selecionados para a fase final desta terceira edição da competição, organizada em oito grandes categorias, divididas por várias subsecções, abrangendo 90 áreas.

Sou Fujimoto, Steven Holl, Rem Koolhaas e Bjarke Ingels fizeram parte do júri da edição deste ano da Architizer A+.

A votação pelo público decorreu desde o passado dia 17 de março.

Os vencedores vão receber os prémios numa cerimónia que decorrerá em Nova Iorque, a 14 de maio.

Os vencedores terão ainda os seus projetos reunidos em livro pela editora britânica de artes e design Phaidon, como escreve a Lusa.