Tim Cook, diretor executivo da Apple, pretende doar 800 milhões de dólares, cerca de 730 milhões de euros, antes de morrer. O desejo foi demonstrado durante uma entrevista em que o diretor se mostrou extremamente disponível para falar sobre si. Os analistas financeiros da «Cantor Fitzgerald» garantem que as ações da multinacional norte-americana estão atualmente a 127 dólares, avaliando a empresa em 733 mil milhoes de dólares.

Com 54 anos, o homem que assumiu o cargo de diretor executivo da Apple antes ocupado por Steve Jobs, garante que depois de dar ao sobrinho de 10 anos tudo o que precisa para uma boa educação irá doar a várias associações de caridade toda a fortuna que possui.

«Tenho um sobrinho que eu adoro, tem 10 anos, e quando olho para ele e quando penso em deixar um mundo não tão bom quando nasci, não há maior tristeza que isso», afirmou Cook, numa conferência, realizada no ano passado.

Cerca de 110 milhões de euros em ações da Apple e 606 milhões de euros em ações restritas são os valores estimados da fortuna de Cook pela revista «Fortune».

No ano de 2012, o diretor executivo doou mais de 45 milhões de euros à «Product Red», uma instituição de caridade que trabalha na luta contra a sida, tuberculose e malária, bem como uma igual quantia ao hospital de Stanford, perto da sede da Apple em Silicon Valley, nos Estados Unidos, incluindo 23 milhões de euros para ajudar na criação de um novo hospital para crianças.

A doação de dinheiro por executivos de alto perfil não é algo novo. Warren Buffett, investidor americano e Bill Gates, cofundador da Microsoft lançaram em 2010 o «Giving Place», um recurso que incentiva os bilionários a doar, pelo menos 50 por cento da fortuna a instituições de caridade. Elon Musk, empreendedor bilionário envolvido na estruturação de empresas como Paypal, Mark Zuckerberg, cofundador do Facebook e o Pierre Omidyar, fundador do eBay assinaram pelo «Giving Place».

Durante a entrevista, Cook falou também sobre aos investidores:

«Se é um investidor de curto prazo, obviamente tem o direito de comprar ações e trocá-las da maneira que quiser. A decisão é sua. Mas eu quero que todos saibam que não é assim que eu administro a empresa».

Segundo os analistas, a Apple vale 2,6 vezes mais do que o Google alcançando níveis de riqueza que nunca antes conseguidos por outra empresa no mundo. De acordo com o Banco Mundial, a empresa supera o produto interno bruto (PIB) da Indonésia, Holanda ou Arábia Saudita.