logotipo tvi24

Steve Jobs «antecipou o futuro», diz Cavaco

Presidente da República lamenta perda de génio que mudou o mundo, numa mensagem publicada no Facebook

Por: tvi24 / PP    |   2011-10-06 15:38

O Presidente da República, Cavaco Silva, lamentou esta quinta-feira a «perda» do fundador da Apple, destacando que o seu «talento inventivo» e a sua «criatividade ímpar» mudaram o mundo, escreve a Lusa.

«O talento inventivo de Steve Jobs e a sua criatividade ímpar mudaram radicalmente o modo como, nos nossos dias, lidamos quotidianamente com a tecnologia. A sua morte é, sem dúvida, uma perda. Mas o seu exemplo e o seu legado perdurarão por muitos anos», afirma Cavaco Silva numa mensagem colocada na sua página na rede social Facebook.

Para o Presidente da República, «o mundo ficou diferente depois de Steve Jobs passar por ele».

«Há homens que criam mundos novos ¿ ou que mudam o mundo, tal como o conhecemos. Por isso os admiramos, como génios visionários, como personalidades que foram capazes de antecipar o futuro, trazendo-o para o presente de milhões de seres humanos», lê-se ainda no mesmo texto.

Steve Jobs, co-fundador da Apple, morreu na quarta-feira, aos 56 anos, vítima de cancro no pâncreas.

Partilhar
FOTOGALERIA:
Homenagens a Steve Jobs por todo o mundo

Steve Jobs, da Apple - EPA/JOHN G. MABANGLO EM CIMA: Steve Jobs, da Apple - EPA/JOHN G. MABANGLO

Nova esperança para o sucesso de transplantes com células estaminais
Proteína identificada nas células estaminais pode melhorar o funcionamento da medula óssea e do cordão umbilical
O fim da chupeta que cai ao chão e ganha bactérias
Ministério da Educação felicita alunos de escola de Lisboa por prémio europeu
Dose única de radioterapia pode tratar cancro da mama
Tratamento feito através de cirurgia pode evitar semanas seguidas de tratamento
EM MANCHETE
Gaza: Obama pede cessar-fogo a Israel
Presidente dos EUA telefonou a Benjamin Netanyahu para «deixar claro» que quer tréguas «imediatas e duradouras»
Saída de Maria Luís? «Dá a sensação que é fim de Governo»
Catroga diz que memorando podia ter sido melhor