Os cientistas acreditam que está iminente o surgimento de um dos maiores icebergues de sempre, o Larsen C, cuja fenda aumentou mais 16 quilómetros nos últimos dias, totalizando já 200 de extensão.

Entre 25 e 31 de maio registou-se o maior avanço desde dezembro, foi anunciado. Isto significa que, agora, apenas 13 quilómetros impedem que a plataforma de gelo da Antártida com 5.000 km2 (o equivalente a 500 mil campos de futebol) se desprenda do continente.

A fenda propagou-se por mais 16 quilómetros, com uma viragem significativa para o seu fim, movendo a ponta para a frente do bloco”, descreveu o investigador da Universidade de Swansea, no País de Gales, Adrian Luckman, instituição que monitoriza a fenda por satélite.

“A formação do icebergue pode agora estar para muito breve”, disse, ainda, em declarações à BBC News, nesta quinta-feira, admitindo, porém, que “não há certezas”.

A fenda está a ser seguida de perto pelo satélite europeu Sentinel-1, que só no final de maio voltou a registar atividade, depois de um crescimento estacionário desde janeiro.

Quando o icebergue se soltar, perderá mais de 10% da sua área, afetando, ainda, a configuração da Antártida, que ficará menos estável.