Um vídeo banal de 20 segundos num jardim zoológico marcou há 10 anos o início do projeto Youtube, que envolve atualmente mil milhões de pessoas por mês e que em cada minuto recebe 300 horas de vídeo.

Atualmente disponível em 73 países e 61 línguas a página na internet de partilha de vídeos nem existia há uma década. O domínio Youtube foi registado a 15 de fevereiro de 2005, faz este domingo 10 anos, mas só a 23 de abril desse ano foi carregado o primeiro vídeo, uma conversa banal num jardim zoológico sobre os elefantes e a tromba grande que têm.

Quando o fez, Jawed Karim, um dos três jovens criadores do youtube, provavelmente nem imaginava que em apenas 10 anos a página envolveria mais americanos adultos do que qualquer canal de cabo, nem que 80 por cento das visualizações chegariam de fora dos Estados Unidos.

Ou sequer que o êxito ia ser tão grande que apenas um ano depois a Google, o maior motor de pesquisa na internet, ia dar mais de mil milhões de euros pela página, apesar de ter um serviço de vídeos também.

Até hoje o canal de partilha de vídeos não parou de crescer. No mês passado os vídeos começaram a ser reproduzidos noutro padrão (de Flash para HTML5) e as histórias de sucesso associadas também são constantes, como a de Evan, um menino que faz criticas a brinquedos e que ganhou um milhão de euros. Os seus vídeos foram vistos mais de mil milhões de vezes.

Outro exemplo chega do Brasil, «Porta dos Fundos» de seu nome, um programa brasileiro de humor que começou pelo Youtube porque não foi aceite pela televisão e que 10 milhões de euros de lucros depois chega agora (próxima semana) a Portugal via canal FOX.

A maior parte das pessoas não ganha dinheiro com a página mas terá outros proveitos. Os telediscos que há quase 40 anos enchiam uma hora de programa semanal na televisão estão lá, como estão séries e filmes de época, milhões de músicas, concertos, imagens históricas, acontecimentos que correram mundo.

E se alguém quer aprender as melhores formas de cortar cebola ou descascar romãs há sempre alguém que no Yotube ensina, que mostra como se fazem pastéis de nata ou qualquer prato de bacalhau, que explica os benefícios de uma fruta ou um legume.

E se alguém quer aprender espanhol, «tratar uma ferida de cobra peçonhenta», «fazer sabão com óleo de cozinha usado», arrancar um «dente de leite sem dor e sem trauma», ou mesmo fazer um «cocktail molotov» (bomba artesanal) ou uma arma de fogo caseira, pode aprender na página.

Ou pode só distrair-se, rir-se com as gracinhas dos gatos dos outros ou colocar um vídeo sem graça de gato próprio. Os primeiros 20 descarregados na página, há 10 anos foram assim, banais, de uma queda na neve a uma tentativa mal sucedida de cozinhar, de um passeio de barco a habilidades ou falta delas, de momentos supostamente cómicos.

Com mais 432 mil horas de vídeo a cada dia que passa, há de tudo no Youtube. Mil milhões em cada mês sabem isso e passam por lá.